terça-feira, 1 de agosto de 2017

5 REGRAS DE UM BOM CURRÍCULO EM QUALQUER FASE DA CARREIRA

Currículo: é importante apresentar um resumo das suas qualificações, diz recrutador

Pouco importa se você mira uma vaga de estágio ou um cargo de diretor: em qualquer etapa da sua carreira, um bom currículo será um recurso precioso para atrair oportunidades.
Na hora de elaborar o documento, as mesmas preocupações necessárias a um profissional com décadas de experiência devem valer para o estudante universitário em sua primeira aventura no mercado de trabalho.
A única diferença entre as fases se refere à organização das informações, segundo Ricardo Karpat, diretor da consultoria Gábor RH.
Enquanto os jovens podem descrever sua trajetória quase integralmente - já que ela ainda é breve -, profissionais mais maduros precisam priorizar alguns dados. "O experiente não deve listar todos os seus empregos, só os mais significativos e recentes", explica Karpat.
À exceção desse ponto, as orientações dos recrutadores são praticamente as mesmas em qualquer contexto. Veja a seguir 5 conselhos universais quando o assunto é currículo:

1. Seja sucinto
Para Guilherme Spironelli, gerente de recrutamento da Hays Response, o currículo perfeito não gasta mais do que uma folha de papel.
Não importa se você tem um ou 30 anos de trajetória: é preciso contar a sua história da forma mais concisa possível. “O currículo funciona como um anúncio publicitário”, diz Karpat, da Gábor RH. “Se ele não for curto e direto, não vai chamar a atenção de quem lê”.

2. Apresente um resumo das suas qualificações
Mesmo que você ainda tenha pouca experiência, é recomendável listar de três a quatro pontos que resumem as suas principais competências.
Incluir essa seção no currículo ajuda o recrutador a descobrir você poderia se encaixar na empresa contratante. “Se o candidato lista as principais atividades que é capaz de entregar, fica mais fácil vislumbrar os benefícios de escolhê-lo para a vaga”, diz Spironelli.

3. Deixe claro o seu objetivo
Outro cuidado importante é declarar a área em que você pretende trabalhar. O cargo mirado pode ficar de fora, já é possível negociá-lo em etapas posteriores da seleção.
“É preciso destacar um único segmento de atuação, isto é, não vale dizer que você pretende atuar nos setores financeiro, contábil e administrativo, por exemplo”, diz Karpat. Por outro lado, profissionais jovens e sem especialidade definida têm licença para lançar um objetivo um pouco mais generalista.

4. Seja sóbrio
À exceção de profissionais de áreas criativas como publicidade ou design, a regra geral para CVs é o minimalismo visual. Para não errar, é melhor apostar em papel branco, formatação simples, poucas cores e fontes clássicas.
De acordo com Karpat, o mesmo vale para a linguagem. "Por mais jovem que você seja, o tom de todos os seus textos deve ser o mais formal possível", explica.

5. Destaque resultados
Mostrar como você contribuiu para as empresas em que trabalhou faz brilhar os olhos de um recrutador. Tudo, claro, se realmente existem resultados importantes e quantificáveis a mostrar.
A despeito de sua curta trajetória, os jovens também podem incluir esse ponto em seus currículos. “Se você é estudante, pode mencionar algum prêmio que ganhou na faculdade ou os frutos do seu trabalho na empresa júnior, por exemplo”, diz Karpat.

Por Claudia Gasparini
Fonte Exame.com