quinta-feira, 22 de junho de 2017

COMO É O SEU RELACIONAMENTO COM OS SEUS CLIENTES?


Caro advogado, será que você atende bem às necessidades dos seus clientes? Seus clientes estão satisfeitos com o seu trabalho? Como você ou o seu escritório é visto pelos seus clientes?
Saiba que o sucesso de todo negócio, incluindo do seu escritório de advocacia, depende muito da satisfação dos seus clientes. Seus clientes são o seu maior ativo, pois sem eles não haverá receita e o seu escritório não terá sustentabilidade. Assim, é muito importante que você conheça muito bem quais são as necessidades e os desejos dos seus clientes para tentar oferecer-lhes um serviço de advocacia compatível com seus anseios e de forma diferenciada dos demais concorrentes. Prestar um serviço personalizado e de excelência não deve ser tido como um diferencial, pois isto é obrigação de todo advogado. O que diferencia um serviço de outro e o torna melhor do que os demais é aquele que, dentre outras coisas, atende a real necessidade do cliente.
Se você não sabe quais as necessidades dos seus clientes, que tal fazer uma pesquisa de satisfação? Saiba que as reclamações de seus clientes podem servir como oportunidade de crescimento e melhoria do seu escritório.
Bill Gates assim já disse: “Seus mais insatisfeitos clientes são sua maior fonte de aprendizado.”
Aprenda a prestar atenção aos seus clientes. Advogados e escritórios que sabem se relacionar bem com seus clientes sempre se destacam frente aos concorrentes.

Como é o seu canal de comunicação com os seus clientes?
Manter um canal de comunicação aberto é muito importante para o relacionamento com seus clientes. Seja responsivo às tentativas de contato de seus clientes, pois isso é fundamental para manter a confiança e a boa imagem. Se você não se dá ao trabalho de responder aos e-mails de seus clientes, isso pode demonstrar falta de interesse e até mesmo desrespeito.
Também é imperativo que você tenha uma comunicação clara, objetiva e assertiva com o seu cliente, sem tentar impressioná-lo com o uso do velho “juridiquês”. Sinceramente, essa prática não é legal e ao invés de impressionar, acaba irritando o cliente por não conseguir manter com você uma comunicação clara e simples.
E para que se tenha um bom processo de comunicação, seja com o seu cliente, seja com qualquer pessoa, algumas atitudes são essenciais:

1. Saiba ouvir: saiba ouvir o seu cliente, escutando-o de forma atenta. Quando você se mantém atento ao discurso da outra pessoa, isso demonstra interesse e gera empatia. Mostre ao seu cliente que você se interessa pelo problema dele. Isso transmitirá confiança e o fará se sentir mais à vontade com você.

2. Fale de forma simples e objetiva: lembre-se que o seu cliente não é advogado e por isso não precisa entender os jargões jurídicos utilizados na profissão. Adapte o seu discurso à realidade do seu cliente e explique o problema da maneira que este possa entender.

3. Seja transparente: seja o mais realista possível com o seu cliente, sem tentar iludi-lo a respeito da solução dos seus problemas.

4. Demonstre segurança/confiança: pessoas inseguras não cativam e não capturam a atenção do interlocutor. Assim, é importante que você entenda do assunto e das necessidades trazidas pelo seu cliente para poder ajudá-lo da melhor forma possível, apresentando todas as possíveis soluções para o caso.

Entenda que desenvolver uma boa comunicação e conhecer bem as necessidades dos seus clientes, lhe proporcionará clientes fiéis e indicações de novos clientes por seus clientes atuais.

Por Lisandra Thomé Coaching & Consultoria
Fonte JusBrasil Notícias