sexta-feira, 7 de abril de 2017

COMO CONCILIAR A PREPARAÇÃO PARA 2 CONCURSOS? DESCUBRA EM 3 PASSOS SIMPLES


A regra de ouro de uma preparação para concursos públicos é que o candidato deve escolher uma área e iniciar o estudo pelas matérias básicas. Desta forma, quando sair o edital de um concurso da área de interesse, terá boa parte do conteúdo adiantada.
Mas sabemos que, de maneira geral, o candidato está sempre de olho em algum concurso específico, cujo edital está mais perto de ser publicado. E aí, em tempos de notícias de possíveis atrasos em concursos, surge a dúvida: dá para conciliar mais de uma preparação?
A resposta é: depende. Em alguns casos muito específicos, sim, é possível – veja os exemplos abaixo. Mas é preciso muito cuidado na hora de tomar essa decisão para não querer dois e terminar ficando sem nenhum.

Grande interseção de matérias
Quando os dois concursos têm a maior parte das disciplinas em comum é possível pensar em fazer uma preparação conjunta. É o caso de dois concursos para tribunal (mesmo cargo) ou um para Caixa Econômica e outro para o Banco do Brasil, por exemplo.

Concurso “contido” em outro
Outra possibilidade de estudar para dois concursos simultaneamente ocorre no caso de um concurso mais complexo e outro menos complexo, ambos para o mesmo órgão. Observa-se que quase todas as matérias do concurso mais simples estão também no conteúdo a ser cobrado no outro, com acréscimo de apenas alguma disciplina não muito difícil.
Nesses casos, a preparação deve estar sempre focada no concurso mais complexo, com o acréscimo necessário das matérias complementares do outro concurso.

Bom conhecimento em muitas disciplinas
Depois de muito tempo se preparando de forma séria e adequada, o candidato ganha segurança em um leque bastante vasto de matérias. A participação em diversos concursos, mesmo que culmine em reprovações, serve para ampliar o número de disciplinas em que o conhecimento vai se tornando bem sedimentado.
Lembrando sempre que deve haver uma lógica na escolha de concursos dos quais participar, respeitando-se a área de interesse. Fazer isso de forma caótica resultará em perda de tempo, em vez de aprendizado.

CUIDADOS ESPECIAIS

1. Checar tópicos
É preciso verificar os tópicos cobrados em cada disciplina, para ter certeza de que realmente há boa coincidência entre eles, e não só no nome das disciplinas. Este cuidado também evitará a surpresa de descobrir que, sob o título de uma disciplina, há assuntos de outras duas ou três. Isso acontece muito em matemática que, não raro, pode incluir matemática financeira, raciocínio lógico e estatística.

2. Planejar o tempo de estudo
É muito importante avaliar se o tempo disponível para estudar será suficiente para incluir o segundo concurso mantendo a qualidade da preparação dos dois. Caso contrário, as chances de aprovação estarão sendo reduzidas à metade – ou à impossibilidade, o que é ainda pior.

3. Focar na primeira prova
A boa estratégia de distribuição de matérias pelos períodos de estudo é essencial para o sucesso dessa empreitada. Deverá ser considerado o peso que cada uma delas deve ter nas provas, o grau de conhecimento do candidato em relação a cada matéria e, se os editais estiverem publicados, o candidato deverá priorizar as matérias comuns e ainda dar especial atenção àquelas que constarão da primeira prova, já que depois será possível dedicar-se totalmente às matérias do segundo concurso.
Considerando-se tudo isso, peço apenas que você não se deixe levar pela ansiedade de “agarrar todos os editais” (presente na maioria dos candidatos, e não sem motivo) e desejo que você tenha lucidez nas suas decisões.

Por Lia Salgado
Fonte Portal G1