terça-feira, 23 de maio de 2017

OS CUIDADOS A SEREM TOMADOS DURANTE AS VIAGENS DE NEGÓCIOS

 
Profissional deve se programar para cumprir os compromissos. Passeios são permitidos, mas só fora do horário do expediente

Viajar não é só diversão e férias. Algumas viagens são a trabalho, e dúvidas de comportamento acabam surgindo: pega mal aproveitar e fazer alguns passeios? E a conta do frigobar, pode ser entregue à empresa na hora da prestação de contas? Se você está de malas prontas, saiba que é importante observar algumas regras para não cometer gafes e queimar a sua imagem e a da empresa.
Fátima Mangueira, diretora de Recursos Humanos da Mira, afirma que, antes de tudo, a pessoa deve ter um comportamento profissional, ético e simpático. É importante ter em mente que os erros cometidos durante a viagem poderão trazer danos à imagem do profissional, dentro e fora da organização, e também da empresa:
— O profissional não pode esquecer que suas atitudes devem ser sempre avaliadas para que não causem impacto na empresa, pois ele a estará representando. Qualquer atitude mal elaborada poderá causar danos à organização e, principalmente, ao profissional que poderá passar uma imagem de descuidado.
Manter uma boa apresentação pessoal, tanto no que se refere às suas atitudes, quanto no modo de se vestir, e ter equilíbrio entre o bom gosto e o bom senso são essenciais, lembra a executiva:
— Imagem é fundamental para o sucesso profissional, seu e da empresa.
Conhecer ao máximo o local onde irá trabalhar durante a viagem, ainda mais se nunca esteve lá antes, é fundamental, afirma Marcele Goes, consultora de imagem pessoal e corporativa da Estilo Sob Medida, membro da Associação Internacional de Consultoria de Imagem (AICI). Informe-se com colegas que já viajaram representando a empresa e pesquise na internet informações sobre clima, hábitos e costumes locais, no caso de outros estados ou países.
— Respeite os colegas acima de tudo, não atropele hierarquias, não seja folgado só porque é um visitante. Ninguém precisa saber de tudo, principalmente ao visitar um local diferente. Mas tente se informar, e, se ainda tiver dúvidas, pergunte e escolha alguém mais receptivo para ser seu orientador local. Seja profissional como você é no seu escritório local:, preocupando-se com pontualidade e com os prazos para entrega de tarefas — ressalta Marcele.
O importante, diz a consultora, é o profissional agir realmente como um hóspede: não tente modificar a rotina, respeite as hierarquias e hábitos do local e, ao dar sua opinião sobre os tópicos profissionais, seja claro e objetivo, mas não atropele ninguém.
— É preciso ficar claro que todos estão no mesmo time, pois é comum haver certo receio a respeito de quem vem de outro local para o trabalho. Respeite o tempo de cada um para criar vínculos: seja gentil, socialize, mas não tente tornar-se amigo próximo das pessoas de uma hora para a outra.
Quanto às despesas, se a empresa vai pagar por toda a viagem, não há problema incluir a conta do frigobar, pois se não consumisse no quarto do hotel, a pessoa iria consumir em um bar ou restaurante. De acordo com Marcele, o que vale a pena observar são as quantidades e os itens consumidos. A regra é nada de exageros:
— Bebidas alcoólicas, claro, não podem ser bancadas pela empresa. E caso decida ir a um restaurante mais elegante para conhecer, esta conta é de sua responsabilidade, como um passeio qualquer em sua cidade de moradia.
Fátima, por sua vez, lembra que ter bom senso é sempre a medida certa para qualquer situação, seja uma refeição ou um passeio.
— Fazer turismo em viagem de negócios pode resultar em falta de responsabilidade e de comprometimento. Se tiver uma agenda noturna para jantares e depois continuar a reunião, por exemplo, é perfeitamente adequado, mas fique sempre atento para não abusar da bebida e das brincadeiras. Tudo em excesso é ruim.
Uma boa opção para conhecer alguns pontos turísticos da cidade, diz ela, é montar uma agenda para aproveitar os fins de semana.

Por Ione Luques
Fonte O Globo Online