sábado, 4 de novembro de 2017

PODER DE CURA ANIMAL

 Bicho de estimação faz bem à saúde

Pesquisas comprovam que seus donos têm menos estresse, mais motivação para se exercitar, maior desenvolvimento da afetividade e melhora do sistema imunológico.
Se você pensa em ter um animal de estimação e ainda está pesando os prós e contras da relação, saiba que, além de ser uma delícia, o contato com os bichanos domésticos traz benefícios à sua saúde. Diminuição do estresse, motivação para se exercitar, desenvolvimento da afetividade, sensação de prazer e melhora do sistema imunológico são alguns deles, afirma a psicóloga Luiza Cruz, diretora da Associação Brasileira de Qualidade de Vida.
Pesquisas recentes apontam, inclusive, que crianças autistas que convivem com um cachorro têm um melhor desenvolvimento e interação com o mundo. De acordo com os especialistas do Centro de Pesquisa do Hospital de Brest, na França, que realizaram estudo envolvendo 260 pacientes, os melhores resultados foram encontrados em pessoas que passaram a ter cachorro aos 5 anos de idade, seguido do subgrupo que sempre conviveu com eles.
Para a psicóloga Giovana Del Prete, vice-diretora da Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental, crianças e idosos são os mais beneficiados pelo convívio com gatos, cachorros, pássaros, coelhos, tartarugas ou seja lá qual for o bichinho de sua preferência: “Em qualquer idade, ter um bicho é ter um grande companheiro. Para as crianças é especialmente importante porque ajuda a desenvolver o senso de responsabilidade (por cuidar de um outro ser), ensina a dividir carinho, espaço e atenção. Já para idosos, afastam a solidão e com isso combatem uma possível depressão.”
Apesar das inúmeras vantagens, é importante ficar atento aos excessos no chamego, que podem levar a crises de alergia e problemas respiratórios: “Há que se ter consciência de que se trata de um bicho. Podemos e devemos dar carinho, mas nada de beijar, colocar no sofá ou dormir na cama com eles. Os pais têm que ficar atentos e dar o exemplo”, alerta Flávia Janólio, diretora da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia do Rio.
O problema maior, diz ela, nem é o pêlo (ou a pena), mas sim a descamação do epitélio, que aumenta a quantidade de ácaro no ambiente e favorece alergias e asma. Mas se você mantiver a higiene na casa e não permitir que o bicho transite por quartos, camas e sofás, você usufruirá só dos benefícios dessa convivência.
E, para os papais que gostam de bichos mas abrem mão de tê-los em casa para não expor os filhos a problemas, aqui vai um bom motivo para rever seus conceitos: “Pesquisas afirmam que se a criança convive com um gato ou um cachorro desde que nasce, ela tem menos chance de ter problemas respiratórios. É como se ela fosse se adaptando aos poucos e ficando com sistema imunológico fortalecido”, explicou Paulo Kussek, presidente do Departamento de Pneumopediatria da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia.

BENEFÍCIOS POR FAIXA ETÁRIA

CRIANÇAS
Ter um bicho desenvolve o senso de cuidado e a afetividade; faz aprender a respeitar, a ter limites e a compartilhar, dividir carinho, atenção e responsabilidade.

ADOLESCENTES
Numa época em que a garotada passa por mudanças físicas e emocionais, o animal representa a aceitação total: o amigo fiel está ali, para o que der e vier.

ADULTOS
O animal leva companheirismo, alegria e descontração à casa.

IDOSOS
Ter um bicho afasta a solidão; motiva idosos a se exercitarem/ caminharem; faz com que se sintam úteis tendo um ser dependendo deles; ocupa a mente e, portanto, combate a depressão.

Por Daniele Maia
Fonte O Dia Online