sábado, 7 de outubro de 2017

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE IMÓVEIS PARA LOUCOS POR BICHOS


Que o mercado de animais de estimação vem crescendo no Brasil ninguém duvida. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o país conta com mais de 100 milhões de animais de estimação, ou seja, quase metade da população humana brasileira. Isso significa que, em média 1 em cada 2 pessoas tem um animal de estimação em casa e precisa levá-lo para a sua nova moradia.
Quer mais alguma razão para pensar nesse tipo de público enquanto corretor de imóvel? Ainda que as necessidades variem de acordo com o tipo de bicho, vamos apresentar algumas sugestões gerais sobre que tipo de diferenciais procuram os seus donos quando vão comprar ou alugar um imóvel, e vamos focar nos cachorros e gatos, os preferidos entre os animais domésticos.

Em primeiro lugar, o empreendimento precisa aceitar animais de estimação
Isso parece meio básico, mas a verdade é que certos condomínios não aceitam animais de estimação. Se esse é o caso de alguns dos empreendimentos em seu portfólio, nem os ofereça para esse tipo de cliente. Uma boa ideia é indicar em seu site e materiais promocionais os imóveis onde os bichos são bem-vindos, para evitar frustrações. No caso de imóveis para aluguel, se esta for uma exigência do dono do imóvel, converse com o mesmo e deixe claro como isso irá diminuir a possibilidade de encontrar um bom locatário para o imóvel.

Animais de estimação precisam circular sem problemas
Ainda que, por motivos de segurança, as portas especiais para gatos e cachorros tão comuns em outros países não sejam usadas no Brasil, os animais de estimação precisam entrar e sair da casa. Assim, seus donos irão preferir imóveis com entradas de serviço, pelas quais os bichos possam entrar com patas molhadas e sujas de areia ou de lama sem arruinar todo o apartamento. Certos pisos também dificultam o caminhar de gatos e cachorros de menor porte ou podem acabar riscados ou cavados pelos de grande porte, e, com certeza, carpetes não são muito apreciados, por serem de difícil manutenção e limpeza – os pisos preferidos são os de madeira com revestimento durável.

Lembre-se do espaço para dormir e brincar
Donos de animais de estimação vão preferir imóveis com espaço suficiente para seus bichos dormirem e brincarem dentro do possível. Lembre-se de que eles são considerados como filhos, por isso não se espante se uma pessoa solteira precisar de dois quartos, pois o outro será do cachorro. Salas ou áreas de serviços amplas também são bem-vindas, por poderem ser adaptadas para receber casas e banheiros para gatos e cachorros, bem como cômodas e estantes para brinquedos e acessórios. Converse com um arquiteto ou design de interiores para obter sugestões nesse sentido.
Caso você também tenha um animal de estimação, compartilhe sua experiência e soluções encontradas. Comente também sobre as possíveis áreas comuns do empreendimento ou fora deste que possam ser usadas para levar o cachorro para passear, além de veterinários e lojas de produtos para animais disponíveis no bairro.

Fonte Corretor Tech