sábado, 8 de julho de 2017

VOCÊ É SAUDÁVEL?

O que é necessário para ter qualidade de vida, mas falha ao pôr a teoria em prática. Confira dicas para chegar lá

Pessoas empenhadas na busca por bem-estar e qualidade de vida admitem não conseguir, por diferentes motivos, adotar pelo menos um dos hábitos que sabem ser fundamentais para que alcancem seus objetivos. A seguir, 6 dicas simples para pôr a teoria em prática.

1. Em vez de viver de dieta, coma de tudo um pouco. “Faça refeições equilibradas, à base de comida de verdade”, recomenda a nutróloga Denise Lellis, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo. Em outras palavras, priorize verduras, legumes e frutas, de várias cores, e reduza o consumo de industrializados e fast foods. Não corte grupos de alimentos – mas procure escolher os mais saudáveis dentro de cada um deles, como os integrais no caso dos carboidratos. Tente provar sabores novos com frequência, diversifique sempre. A nutróloga Denise também sugere mastigar bem os alimentos para ter saciedade – e, assim, não cometer exageros à mesa.

2. Curta um pouco o sol todo dia. Bastam 15 minutinhos de exposição aos raios ultravioletas, sem protetor solar, para que organismo possa produzir vitamina D – a campeã das citações entre os 46% dos entrevistados que declaram ter alguma carência de nutriente. O vice-campeão no ranking do grupo pesquisado é o ferro, seguido pelo Complexo B. Com exceção do vitamina D, que precisa também do sol, o suprimento dos demais micronutrientes costumam depender quase que exclusivamente de uma alimentação diversificada. Ainda assim, em alguns casos (ou momentos), a suplementação de vitaminas e minerais pode ser uma opção.

3. Tenha sua garrafa de estimação. Todo mundo sabe que beber 2 litros de água por dia faz bem à saúde, pois repõe a hidratação perdida com a urina e o suor, hidrata as cordas vocais, libera toxinas e estimula os rins. Mas só 43% das pessoas pesquisadas alcançam, de fato, essa cota. Manter sempre por perto uma garrafa de água, para ir tomando aos goles, sem pressa, é a melhor estratégia para cumprir a meta.

4. Conheça o próprio organismo. E respeite seu ritmo. Você nunca consegue dormir antes da meia-noite? Não se force a deitar às 22 horas, mas procure dormir o suficiente para seu descanso – o que pode variar de seis a dez horas por noite. Teste e ache seu número. Do mesmo modo, tente comer quando estiver com fome, e não apenas adotar cegamente um plano de três refeições seguidas de lanchinhos.

5. Mantenha a tranquilidade e dê um passo de cada vez. Na pesquisa, como a esmagadora maioria não consegue fazer tudo que julga necessário, somente 9% dos entrevistados atribuem nota 9 ou 10 à sua rotina no que diz respeito a ser mais ou menos saudável. “Talvez as pessoas estejam sendo rigorosas demais”, pondera o clínico geral e infectologista Paulo Olzon Monteiro da Silva, da Universidade Federal de São Paulo. “O rigor excessivo alimenta o estresse, o que faz mal à saúde.” Por exemplo, não deu ainda para aderir a alguma prática regular de exercício? Sem desespero. Para começar, saiba que não é preciso ir à academia, muito menos escolher uma atividade física de alta intensidade. Caminhar de 30 a 40 minutos diários, na rua, já afastará o sedentarismo e tornará você mais saudável, diz Olzon Monteiro da Silva. E não se culpe se às vezes não der nem isso. Tente mexer-se mais no seu dia a dia – subindo escadas, por exemplo, e até incluindo na agenda do fim de semana umas voltas divertidas de bicicleta.

6. Busque o prazer. Deixar de ir a festas por medo de comer o que não deveria não é boa ideia. Afinal, encontrar os amigos, rir, sentir-se perto das pessoas de quem se gosta, tudo isso ajuda a ter saúde, assim como ler, ir ao cinema ou ter um hobby. Para a Organização Mundial da Saúde, não basta ter o corpo livre de doenças. Saúde corresponde a bem-estar físico, psicológico, social e espiritual.

Fonte Veja.com