sábado, 7 de outubro de 2017

BOLAS DE PELOS: DICAS PARA EVITAR O PROBLEMA COM GATOS

O mais recomendado é prevenir a formação das bolas para minimizar o desconforto dos bichanos

O problema é quando os pelos não são expelidos pelas fezes ou através do vômito, pois se acumulam no aparelho digestivo

Quem tem um gato em casa está acostumado a acompanhar suas típicas sessões diárias de auto higiene, com direito a contorcionismo e lambidas sucessivas no próprio corpo. Esse comportamento natural dos felinos, no entanto, faz com que eles engulam alguns pelos, que podem se acumular no sistema digestivo, formando o que se costuma chamar de bolas de pelos.
Na realidade, as formações não têm a forma de bolas, mas de pequenos rolinhos. E como os pelos não são digeridos, os gatos geralmente expelem essas formações através do vômito. “Mas isso não deve ser sinal de preocupação quando ocorre eventualmente e se o apetite do gato está dentro da normalidade”, esclarece Keila Regina de Godoy, médica veterinária da PremieR pet.
O problema, de acordo com Keila, é quando essas formações não são expelidas pelas fezes ou através do vômito, e os pelos se acumulam no aparelho digestivo, podendo causar até mesmo uma obstrução intestinal. Em situações assim, algumas vezes a única solução é a cirurgia.
 Especialista em felinos, o GroomeR PremieR pet, Val Santarem, explica que os gatos mais afetados costumam ser os de pelo longo, tais como o persa, porém os demais não estão livres da ocorrência. “Até mesmo gatos sem pelo como o Sphynx podem sofrer com o problema, pois têm uma pele muito oleosa que pode acumular fiapos de tecidos e pelos de outros amiguinhos peludos, engolindo da mesma forma que os demais”, diz.

Problema costuma afetar gatos de pelo longo
No entanto o assunto não deve causar alarme. O mais recomendado é prevenir a formação das bolas de pelo para minimizar o desconforto dos bichanos. Os especialistas orientam algumas medidas simples e valiosas:

• Gatos de pelos longos devem ter uma nutrição diferenciada, com alimentos específicos que já ofereçam o benefício de prevenção das bolas de pelos. Isso é possível porque esses alimentos possuem quantidades aumentadas de fibras especiais, que auxiliam na eliminação dos pelos ingeridos através das fezes.
• Escovar os gatos diariamente ou, no mínimo, a cada três dias. A medida ajuda a remover os pelos mortos, evitando que grandes quantidades sejam ingeridas.
• Dar banho a cada 15 dias habitualmente. O ideal é contar com um profissional especializado em estética felina para cuidar da pelagem longa nos períodos de troca de pelos, período em que os banhos devem ser semanais.
• É possível adquirir em pet shops graminhas próprias para gatos que vivem dentro de casa. Quando ingeridas pelos felinos, elas ajudam no controle das bolas de pelos.
• Como o tédio e o sedentarismo potencializam o comportamento de se lamber, é importante oferecer atividades e distrações aos gatos. Um ambiente que estimule as brincadeiras, interação e exercícios físicos é o ideal. Ter brinquedos e arranhadores são boas opções.
• Visitar o veterinário a cada 6 meses para que avalie o estado geral da saúde do bichano. Vale lembrar que o pelo é um reflexo da saúde como um todo.

Por Priscilla Merlino
Fonte ÉPOCA Online