sábado, 4 de novembro de 2017

SAIBA QUAIS PERIGOS DA OBESIDADE EM GATOS E COMO EVITÁ-LA


Quanto mais gordinho, mais fofinho. Pode parecer inocente, mas esse tipo de pensamento tende a ser prejudicial à saúde dos gatos. A obesidade pode acarretar diversas complicações para a saúde do felino e até levá-lo à morte.
A obesidade é uma complicação que não anda só. Ela pode contribuir com o surgimento de outros problemas de saúde, tais como doenças respiratórias, cardiovasculares, dermatológicas, ortopédicas, renais e hepáticas. A obesidade também aumenta as chances de o animal desenvolver diabetes, o que acarreta vários transtornos ao animal, podendo levar à morte.

Meu gato está obeso? O gato é considerado obeso quando apresentar um sobrepeso a partir de 30% do seu peso estimado. Para diagnosticar este estado, o ideal é levá-lo ao veterinário para uma avaliação, inclusive para identificar as causas da obesidade, que pode ser desde um comportamento sedentário somado a uma alimentação inadequada até uma situação de hipertireoidismo.
Entretanto, há alguns truques que podem ajudar a identificar se o animal está acima do peso ou não: ao olhar o gato de cima, ele deve ter uma cintura visível e ao apalpar a região do tórax do animal, deve ser possível sentir as costelas. Esses são sinais de que o animal não está obeso, mas para uma avaliação completa e certeira, o recomendado é levar o gato para ser examinado no veterinário.

Manutenção do peso – O gato emagreceu, mas o que fazer para ele não voltar a engordar? “Após a perda de peso estimada, o animal deve receber um produto de manutenção light e preferencialmente associado a alimentos da categoria úmido”, indica a veterinária Patrícia Padovez.
De acordo com a especialista, para o manejo nutricional adequado, é importante levar em conta o peso e o grau de atividade do animal, sempre respeitando a quantidade de alimento sugerida na embalagem pelo fabricante.

Como evitar a obesidade – Gato sedentário tende a tornar-se obeso, por isso, estimular o gasto de energia é essencial. Ofereça brinquedos para o bichano se exercitar. Bolinhas, arranhadores, caixas de papelão e caneta laser são excelentes opções para o pet brincar.
Outra dica é preparar o ambiente para que o animal se exercite: felinos gostam de lugares altos para explorar. Assim como acontece com os humanos, é muito mais difícil fazer com que o gato mude de comportamento depois de adulto do que já acostumá-lo desde filhote a ter uma rotina saudável.

Fonte ANDA