segunda-feira, 10 de julho de 2017

PERDEU O PASSAPORTE OU A BAGAGEM? SAIBA COMO CONTORNAR PESADELOS DE VIAGEM


Sinônimo de descanso e diversão, viagens turísticas podem se transformar rapidamente em verdadeiros pesadelos. Basta você se atrasar para chegar ao aeroporto ou perder um documento para que toda a alegria vá por água abaixo. A seguir, veja como lidar com cinco situações que podem arruinar a jornada de qualquer um:

Perda de voo
Todo mundo sabe que deve chegar ao aeroporto algumas horas antes do voo. Mas, e se você se atrasar e perder o avião? "Se o passageiro perder o voo, ele deve negociar com a companhia aérea as condições para embarcar no próximo voo disponível. Geralmente, o viajante arca com os custos de uma nova passagem com a tarifa do dia. Entretanto, em alguns casos, há empresas aéreas que adotam medidas específicas para lidar com o problema", informa a Anac. Sempre verifique, um dia antes da viagem, quanto tempo demora para chegar até o aeroporto e se programe para estar na frente do balcão de check-in com pelo menos duas horas de antecedência para voos nacionais e entre três e quatro horas de antecedência para voos internacionais.

Perda de dinheiro e cartões
Qualquer viajante está sujeito a perder seu dinheiro ou cartões durante uma viagem, por desatenção ou pela ação de ladrões. Há algumas dicas para evitar esta situação dramática. Primeiro: ao sair para passear em um destino turístico, nunca carregue todo o seu dinheiro em um local só. Leve no bolso o suficiente para as despesas do dia, como transporte, compras e alimentação. Quantias maiores podem ser divididas entre o cofre do hotel e as doleiras, tipo de pochete que fica escondida sob a roupa e também pode levar com segurança documentos como o passaporte. Se você perder todo o seu dinheiro e cartões no exterior, vai precisar entrar em contato com alguém no Brasil e pedir para que lhe mande dinheiro por uma empresa de remessas internacionais, como a Western Union. Você poderá retirar a grana em um dos escritórios da empresa (presentes em quase todos os países do mundo) logo depois de que ele for enviado do Brasil. Lembre-se também de ter sempre à mão o telefone da central de atendimento do cartão, para cancelá-lo o mais rápido possível. Se isso acontecer no Brasil, vá ao banco e veja como fazer um saque.

Perda de passaporte
Perder o passaporte no exterior é uma dor de cabeça. Este, afinal, é o documento que permitiria seu retorno ao Brasil. "O nacional deve comparecer à delegacia de polícia mais próxima do local onde o documento foi roubado ou extraviado para fazer a denúncia por roubo ou extravio. A seguir, será necessário contatar a repartição consular brasileira (embaixada ou consulado) mais próxima", informa o Itamaraty. "O setor consular pode então emitir gratuitamente uma Autorização de Retorno ao Brasil. É necessário apresentar ao agente consular a denúncia policial e qualquer documento comprobatório de sua nacionalidade brasileira. Na falta de documento com estas características, o nacional será solicitado a apresentar duas testemunhas que possam atestar sua nacionalidade ou, excepcionalmente e somente em último caso, assinar declaração em que afirme, sob as penas da lei, sua identidade e nacionalidade”, informa o órgão. Para facilitar este processo, leve na viagem o RG, cópias autenticadas do documento de identidade ou da certidão de nascimento e do passaporte. Esses documentos devem ser guardados em locais seguros, como o cofre do hotel. Além disso, coloque seus dados de contato na última página do passaporte. Isso pode facilitar a recuperação do documento perdido caso ele seja encontrado por outra pessoa. Os setores consulares também podem emitir um novo passaporte, mas o prazo varia em cada repartição.

Barrado no aeroporto
Brasileiros ainda são altamente passíveis de ser barrados em aeroportos internacionais. E este é, sem dúvida, um dos piores pesadelos de qualquer um: gastar dinheiro com passagens, se encher de boas expectativas e, no final, ter a entrada negada na porta do destino. Para evitar tal frustração, é essencial pesquisar minuciosamente todas as exigências que o país de destino impõe para a entrada de brasileiros. Apesar de não cobrar visto antecipado, países europeus do Acordo de Schengen (como Espanha, França e Itália) podem exigir que brasileiros mostrem, na hora de passar por suas imigrações, documentos como a passagem aérea de volta ao Brasil (ou para outro destino fora do Espaço Schengen), reserva de hospedagem (ou carta-convite de um anfitrião) e quantia de dinheiro que comprove que podem se sustentar durante a viagem. Nos Estados Unidos, ter visto não garante entrada: os oficiais de imigração podem barrar o viajante se desconfiarem que pretende ficar mais tempo do que o declarado em sua entrevista de admissão ou se acharem que não tem verba suficiente para se manter durante sua jornada (ou que pretende trabalhar ilegalmente por lá). Eles estão checando até o Facebook, para ver se, na rede social, há posts que podem contradizer o que foi declarado pelo turista. Portanto, seja sempre honesto com os oficiais.

Bagagem extraviada
O que fazer quando a mala não aparece na esteira? "O passageiro deve procurar a companhia aérea imediatamente e relatar o fato em documento fornecido pela empresa ou em qualquer outro comunicado por escrito", informa a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Você deverá apresentar o comprovante de despacho da bagagem fornecido na hora do check-in. Para voos saindo do Brasil, a empresa aérea é obrigada a indenizar o passageiro depois que a bagagem ficar na condição de extraviada por sete dias (em voos nacionais) e 21 dias (em voos internacionais). Depois disso, o viajante tem o direito a ser ressarcido em até 1.131 Direitos Especiais de Saque (DES), o que, atualmente, corresponde a cerca de R$ 5.000. A companhia deve enviar as malas para o seu endereço se encontrá-las. Além disso, é devido o ressarcimento de eventuais despesas ao passageiro que estiver fora da sua cidade de origem. As empresas podem estabelecer a forma e os limites diários do ressarcimento. Lembre-se, entretanto, que estes direitos podem mudar em viagens realizadas totalmente no exterior, por exemplo, se o voo for entre os Estados Unidos e a Europa. Verifique as regras.

Por Marcel Vincenti
Fonte UOL