sábado, 4 de novembro de 2017

SAIBA COMO IDENTIFICAR SE O SEU GATO ESTÁ COM DOR


Costumamos pensar que os gatos são animais muito resistentes. Mas a verdade é que os gatos são mestres na arte de dissimular os sinais de dor. Por essa peculiaridade, é difícil perceber que os felinos estão sofrendo.
Veja dicas para identificar quando seu gatinho está sofrendo com dores. Lembre-se: em caso de qualquer alteração de comportamento que indique dor no animal, procure um veterinário urgente.

Sinais de dor em gatos Como identificar demonstrações associadas à artrose
Uma das principais causas de dor nos gatos é a artrose, uma patologia que, como acontece com os humanos, consiste em um desgaste da cartilagem articular. Caso o gato a tenha, mostrará os seguintes sinais de dor:

Relutância ao movimento (não querer se mover)
Muitos gatos que se encontram doloridos por problemas musculares e esqueléticos evitam mover-se na medida do possível Mas, com determinada idade, a tendência a se moverem o suficiente pode estar indicando que o gato sofre de artrose e não que está algo “apático”. Ao contrário dos gatos, os cachorros “dizem-nos”, uma vez que acompanham os nossos passeios, momento no qual se põe em evidência qualquer desconforto ao caminhar. Os gatos optam por suprimir o que lhes produz dor, não subindo para o seu móvel favorito, por exemplo, e limitam o seu deambular cotidiano.

Deposições fora da caixa de areia
Quem trata de forma habitual com gatos associa isso a um castigo perante a nossa ausência ou mudança de móveis, por exemplo. Mas por vezes, o nosso felino não consegue ter acesso à caixa de arei devido às dores. É por isso que uma revisão física do gato é imprescindível, antes de pensar que mudou o seu comportamento só porque sim.

Prolongamento dos tempos de descanso
O último dos sinais de dor em gatos relacionados com a artrose é que se acomodam longos períodos de tempo nas suas camas. É habitual não darmos importância ao tema se temos gatos idosos, porque pensamos que já têm uma certa idade e que sempre gostaram muito de tirar os seus cochilos. É importante realçar que eles passam entre 14 a 16 horas diárias descansando, mas se o fazem em momentos que não faziam antes pode tratar-se de um sinal de dor.

Como saber se o meu gato tem dor por artrose?
Podemos saber isso principalmente observando o seu comportamento atual e avaliando se mudou alguma coisa, desta forma consegue obter muitas pistas. Por exemplo, se o gato costumava saltar para a mesa, saltar para o arranhador ou correr todas as noites pelo passeio um bom bocado e leva algum tempo sem o fazer, será o momento de recorrer a uma revisão veterinária.

Falta de asseio e de marcar território
Quando um gato sente algum desconforto, uma das rotinas diárias que mais se vê afetada é, sem dúvida, a sua higiene. No entanto, não é a única coisa a que temos que prestar atenção para averiguar se o gato tem algum tipo de dor.

Falta de asseio
Existem gatos mais meticulosos que outros na sua higiene diária, mas se o nosso gato costumava passar um certo tempo se limpando e se ultimamente anda meio descuidado neste aspeto, pode ser um sinal de mal-estar. O pelo fica pouco lustroso, eriçado, e até um pouco áspero.

Não marca território
Marcar território diariamente, como por exemplo afiar as unhas e esfregar as mandíbulas, é um dos hábitos que se pode ver afetado ou suprimido caso o gato sinta alguma dor.

Outros sinais de dor em gatos Protrusão da membrana nictitante (vemos uma membrana branca no olho)
Os gatos e cachorros têm uma membrana esbranquiçada que podemos chamar de “terceira pálpebra”, embora seu nome seja membrana nictitante. Em condições normais não se vê, mas quando o gato se encontra apático, dolorido ou febril, podemos vê-la no felino com os olhos abertos, sendo estes sintomas, claros sinas de que algo não está bem.

Sialorreia (excesso de saliva)
Muitas vezes a dor nos gatos está relacionada com alterações na boca e, embora o felino mantenha uma atitude mais ou menos normal e se interesse pela comida, é-lhe impossível deglutir. Isto provoca a saída constante de saliva e a peregrinação constante ao comedouro, embora não consiga se alimentar corretamente.

Agressividade
Também pode ser comum em problemas de comportamento ou estresse, mas alguns gatos reagem de forma agressiva diante de certos estímulos como sinal de dor (por exemplo, um carinho), manifestando comportamentos que parecem de ataque.
Se o seu gato costumava ser carinhoso e dócil e agora tem uma atitude arisca quando tenta interagir com ele, vá ao veterinário para descartar qualquer problema de saúde.

Vocalização excessiva
Existem gatos mais “faladores”, por exemplo os siameses, mas se o gato mia com mais frequência que o normal e sem motivo aparente, poderá ser uma alerta de que alguma coisa está acontecendo. Costuma ser mais um sinal de dor emocional, mas em algumas ocasiões pode estar relacionado com a dor física.

Posturas antiálgicas (posições que diminuem a dor)
Não é exclusivo dos cachorros, embora seja neles e em outros animais que as costumamos ver. Ps gatos são mais discretos em tudo o que se refere a manifestar sinais de dor, mas quando esta atinge mais intensidade, podemos encontrar o nosso gato curvado, ou pelo contrário, esticado com as patas dianteiras como se fosse um despertar contínuo. Tal como quando os humanos sentimos cãibras no abdômen tendemos a nos encolher, podemos encontrar o nosso felino adotando as mesma posições. Costumam ser does viscerais e as alterações neste caso costumam ser notadas antes que o felino tenha que adotar estas posturas.
Estes detalhes fáceis de observar, podem ajudar-nos a identificar os sinais de dor no gato. Como sempre, cada gato é um mundo, e do mesmo modo que não há humanos iguais, não há duas formas iguais de manifestar dores nos felinos, nem em algum outro ser.
Com estes breves conselhos e dos dados que se podem recolher no dia a dia (falta de apetite, problema para urinar, etc), o veterinário poderá definir os exames oportunos de modo a poder aliviar a dor no gato.

Por Agência de Notícias de Direitos Animais - ANDA
Fonte Perito Animal