sábado, 2 de setembro de 2017

FIQUE ATENTO À URINA DE SEU GATO!

Infecções, cálculos, tampão uretral, câncer e outras doenças podem afetar o trato urinário do bicho

Os gatos têm o sistema urinário como sinalizador de que as coisas não estão muito bem. Animais estressados, com a rotina alimentar desregrada ou que ingerem pouca água, por exemplo, em algum momento da vida podem manifestar sintomas de doença urinária. Conhecida como doença do trato urinário inferior (DTUIF) por acometer bexiga e uretra, este problema causa grande desconforto ao felino, que sente dor e fica inquieto e incomodado o tempo todo. O problema é tão frequente e envolve tantas variáveis com sintomas semelhantes que hoje se fala em síndrome urológica felina. Os gatos mostram sinais de dificuldade e dor ao urinar, aumento da frequência de micção e até sangue na urina. Os animais apresentam tendência a lamber a área genital excessivamente, na tentativa de minimizar o desconforto e às vezes eles vão urinar fora da caixa de areia, muitas vezes preferindo superfícies frias e lisas como um piso de cerâmica ou uma banheira.
Embora possa acometer gatos de qualquer idade, a incidência é maior em machos de meia idade e acima do peso. Infecções urinárias, cálculos urinários, tampão uretral, câncer e outras doenças podem afetar o trato urinário inferior do gato e todas as possibilidades devem ser investigadas sempre que se notar alguma alteração na rotina e no comportamento do bichano.
O histórico, associado ao exame físico cuidadoso, exames laboratoriais como de urina entre outros e de imagem como RX e ultrassom são importantes para diagnosticar as causas ou excluí-las. Caso não se identifique a causa primária, pode-se tratar de uma doença idiopática também chamada cistite intersticial, que é bastante frequente e está relacionada a situações de estresse. Uma boa alimentação, água fresca e em abundância, atividades recreativas e acompanhamento veterinário reduzem bastante os casos de recidiva. Estes fatores também são importantes na prevenção e manejo dos cálculos e cristais em bexiga, além de infecções que podem ser primárias ou secundárias a outros distúrbios urinários. Devido ao fino diâmetro da uretra dos gatos, o risco de obstrução, impedindo a eliminação da urina, é bastante frequente e caracteriza uma emergência médica que se não tratada a tempo pode levar a morte do animal em poucos dias. As fêmeas neste ponto levam vantagem, mas não ficam livres dos transtornos causados pela doença do trato urinário inferior.
Para reduzir as chances de seu pet apresentar problemas urinários temos algumas dicas importantes a serem seguidas:
1. Alimente o animal com pequenas porções no mínimo 3 vezes ao dia e observe o quanto e como ele come.
2. Para gatos com histórico de cristais ou cálculos de estruvita, dê preferência a dietas que favoreçam a produção de urina ácida. Mas sempre seguindo a recomendação do veterinário.
3. Forneça água limpa e fresca sempre.
4. Disponibilize um número adequado de caixas de areia (geralmente, uma a mais do que o número de gatos na casa).
5. Mantenha as caixas de areia em áreas tranquilas e seguras da casa.
6. Mantenha as caixas de areia sempre limpas.
7. Minimize grandes mudanças na rotina.

Por Fernanda Fragata
Fonte Época Online