sábado, 1 de julho de 2017

POR QUE MEU GATO ARRANHA TUDO?


Todo dono de gato faz esta pergunta ao se deparar com as marcas de unha no sofá ou no batente da porta. E a resposta é bastante simples: este é um comportamento natural dos gatos. Ao arranhar, os gatos renovam as unhas, se alongam, se exercitam, brincam, aliviam o estresse e marcam território.
Os sinais visuais e de olfato são facilmente detectados e reconhecidos por outros gatos. Mesmo que isto não nos agrade, não há como inibir este instinto. Mas nem tudo esta perdido.
Podemos desviar a atenção de móveis e objetos da mobília da casa para outros específicos aos gatos, que não afetarão a decoração e os utensílios domésticos. O objetivo não é acabar com o hábito de arranhar, mas sim oferecer locais e situações onde o gato possa exercer seus instintos sem causar estragos. O primeiro passo é tornar desagradável o local vítima das unhas felinas e ao mesmo tempo oferecer um local próprio como um arranhador para gatos.
Existe uma infinidade de modelos, do mais simples a verdadeiras obras de arte, mas a escolha fica a critério do estilo e vontade do dono. Para o gato, o que mais importa é ter o que arranhar. O arranhador deve ser colocado nos locais onde o gato passa a maior parte do tempo, onde ele costuma descansar ou brincar. Se puder, coloque em vários ambientes da casa, próximos as regiões mais destruídas. Estimule brincadeiras espalhando brinquedos pela redondeza e pendurando-os no arranhador. Borrife a essência da erva catnip no arranhador para atrair ainda mais o seu gato. Toda vez que o seu gato usar o arranhador, faça elogios e carinhos. Manter as unhas dos gatos sempre aparadas diminui o tempo que ele necessita para gastá-las e renová-las, assim ele se contentará com o arranhador e dificilmente procurará outros locais para arranhar.
Se mesmo assim ele se aproximar de um local desapropriado para arranhar, use o firme e sonoro NÃO. Não grite ou perca a calma. Leve-o ao arranhador e estimule o seu uso. Com paciência e persistência, rapidamente seu gato estará condicionado.

Por Fernanda Fragata
Fonte Exame.com