sábado, 1 de julho de 2017

JÁ VACINOU SEU PET CONTRA GRIPE?


O outono chegou. Em abril tem início a campanha nacional de vacinação contra gripe. O que poucos sabem é que cães e gatos também podem ter gripe e resfriados. A boa notícia é que existe uma maneira simples de evitar que nossos pets sofram com o desconforto e corram risco de complicações decorrentes destas doenças.
No caso dos cães, o principal causador de tosse e sintomas semelhantes à gripe é uma bactéria chamada Bordetella bronchiseptica. Conhecida como Traqueobronquite infecciosa canina, além dos sintomas como tosse, febre, apatia e falta de apetite, esta bactéria pode abrir as portas a outros agentes respiratórios, causando doenças simultâneas como, por exemplo, pneumonia. O frio, o contato com outros cães e a idade são fatores que predispõem à doença. Os idosos e os filhotes costumam ser acometidos com maior frequência  e sofrem mais com os sintomas. Por isso é importante vacinar os filhotes a partir de dois a três meses de idade, com duas doses da vacina específica administradas com um intervalo de 21 a 30 dias, e depois anualmente durante toda a vida. O vírus Parainfluenza também costuma ser responsável por sintomas semelhantes, embora ganhe maior força quando associado à bactéria Bordetella bronchiseptica.
Vacinando os filhotes com três a quatro com intervalos de 21 a 30 dias e os adultos, anualmente com a vacina V8 ou a vacina V10, é possível protegê-los deste tipo de vírus, dentre outros agentes nocivos à saúde.
Já os gatos têm o sistema respiratório bastante sensível e sofrem ainda mais com as mudanças climáticas e agentes infecciosos que atacam as narinas, garganta, olhos, brônquios e pulmões. A Rinotraqueite, a Calicivirose e a Clamidiose causam sintomas como febre, conjuntivite,  mal estar, além dos clássicos respiratórios como rinite, tosse, espirros e até pneumonia. Estas doenças afetam mais gravemente os filhotes. Animais adultos com baixa imunidade e os idosos também sofrem bastante com esses sintomas. Diferentemente dos cães, que precisam de dois tipos de vacina para se protegerem (V8 ou V10 e a vacina contra a Bordetella), os gatos têm em uma única picada a proteção contra todos os agentes destas doenças.
Vacinando os filhotes a partir dos dois meses de idade com três doses em intervalos de 30 dias e os adultos, anualmente com a vacina tríplice (não contém a proteção contra a Clamidiose) ou a quádrupla, é possível mantê-los livres deste desconforto.
Por isso não deixe para a última hora! Cheque a carteirinha de vacinação de seu pet. Se as vacinas não estiverem em dia, corra para o seu veterinário de confiança e as atualize antes do calor acabar. Seu grande amigo pode não gostar da picada, mas vai te agradecer muito por esta atenção e cuidado.

Por Fernanda Fragata
Fonte Época Online