terça-feira, 16 de maio de 2017

CINCO DICAS PARA ‘DAR UM GÁS’ NO CURRÍCULO

Especialista orienta como aprimorar e melhorar o conteúdo do documento

Redigir um currículo parece ser uma atividade relativamente simples. Muitas pessoas buscam na internet formulários ou modelos padrões, outros recorrem a modelos “moderninhos” e há ainda aqueles que se orientam apenas por algum CV enviado por um colega. Só que aqueles que se enquadram nesta lista pode estar perdendo muitas oportunidades de emprego e, para chamar a atenção do recrutador, algumas regras básicas podem, de fato, fazer a diferença.
O correto, segundo Fabíola Lago, especialista em RH do portal Vagas.com.br, é colocar escolaridade antes do idioma, a experiência profissional por ordem cronológica ou pelas experiências mais relevantes.
—Se o candidato não sabe preencher corretamente o que foi pedido nos campos solicitados, ele pode deixar informações relevantes — explica a consultora, que aconselha que os candidatos a ordenarem corretamente todas as informações que pretendem incluir no material.
—É importante pensar no que vai escrever, como vai se apresentar, quem é você, quais foram e são os seus trabalhos mais importantes, os que você mais curtiu fazer ou que pretende fazer, se especializar, transformar em uma carreira.
Confira abaixo cinco dicas que podem ser valiosas na elaboração correta de um currículo, segundo a especialista:

Onde você faz a diferença?
Seja na sua trajetória escolar, acadêmica, em um grupo de voluntariado, na empresa júnior ou no centro acadêmico, quais eram as funções que exercia com facilidade ou que delegavam a você porque confiavam na sua habilidade? Liste e escreva, sem preocupações de apresentar para alguém. Essa anotação é sua.

Se você já tem experiência profissional, pense da mesma forma: quais são as tarefas que você se demonstra ter talento
Atendimento ao cliente, relacionamento interpessoal, na elaboração de planilhas? É melhor com números ou com redação. Ou nas duas coisas? Você lidera com facilidade? As pessoas escutam o que você tem a dizer? Ou você é a pessoa que melhor escuta a todos?

O que você quer fazer?
Agora que você já listou seus momentos de destaque, pense quais cargos ou profissões melhor se ajustam às suas habilidades. Mas coloque aí mais um ingrediente: além do que você já sabe fazer, o que mais gostaria de desenvolver como competência?

Onde você gostaria de trabalhar?
Capriche nessa lista. Mesmo mantendo o pé no chão, vale sonhar um pouquinho alto também, diz Fabíola. Pense em segmentos primeiro: moda? engenharia? serviços? vendas? planejamento? marketing? tecnologia? Esse já é um passo muito importante. Pense nas suas afinidades, na sua curiosidade. Depois, coloque em ordem de prioridade. Abaixo de cada grande área dessas, as empresas que você admira e os pontos pelo qual tem interesse por essas companhias. Pode ser pela localização, próxima à sua casa ou escola, ou porque a empresa oferece bolsa-estudo. Questões como responsabilidade social, ações de sustentabilidade e as práticas da empresa também podem pesar na sua escolha.

Pesquise, entre no Google, saiba tudo sobre essas empresas
Entre nas páginas de “Trabalhe Conosco” - é lá que costumam constar essas informações sobre benefícios, fotos do ambiente de trabalho e o jeitão da empresa com seus clientes, com o meio ambiente, inovação e outros fatores importantes.
Com essa lista em mãos, diz a consultora, você pode preencher ou elaborar seu currículo. Terá muito mais claro qual seu objetivo profissional, que deve ser o cargo que você procura e que conseguirá dar conta do recado:
— Dê destaque às suas experiências mais bem sucedidas, seus grandes desafios. Não importa se é grande para outras pessoas, é o seu melhor! E é isso que interessa — conclui Fabíola.

Fonte O Globo Online