quarta-feira, 19 de julho de 2017

SETE DICAS PARA QUEM QUER PASSAR NUM CONCURSO PÚBLICO

Especialistas ensinam técnicas de motivação, disciplina, aprendizagem e realização das provas

Se você está decidido a garantir a sua vaga no setor público em 2017, confira as sete dicas de ouro para quem quer passar num concurso público:

1) Motivação:
Quem vai prestar concurso precisa de motivação. É o que faz com que os candidatos “segurem a barra” quando tudo parece difícil e recomecem quando algo dá errado. E a motivação é pessoal: cada um sabe o que lhe dá ânimo para prosseguir. Algumas fontes de motivação são: família (ajudar pessoas queridas, casar com a pessoa amada), estabilidade profissional, dinheiro, tempo (quanto melhor você estudar e tiver resultados mais rápidos, mais tempo você terá para fazer outras coisas). A motivação deve ser trabalhada diariamente, diz o professor e juiz federal William Douglas. Segundo ele, todos os dias você deve se lembrar dos motivos que o estão fazendo estudar, ter planos, persistir.
— Você pode criar técnicas para se animar. Eu usava uma xerox do contracheque de um amigo que já tinha sido aprovado. Quando eu começava a querer parar de estudar antes da hora, olhava o contracheque que eu queria para mim e conseguia estudar por mais um tempo. Conheço gente que tem a foto de um carro, de uma casa, uma nota de US$ 100, a foto de onde quer passar as férias de seus sonhos. E tem gente com foto da esposa, do marido, dos filhos — conta o professor.

2) Disciplina:
O primeiro passo para quem decide se preparar para um concurso é fazer o tradicional quadro de horários, colocando nele todas as tarefas a serem realizadas. Este procedimento, garantem especialistas, facilitará as coisas, porque ajuda o candidato a estabelecer suas prioridades. É recomendável que se separe tempo para dormir, fazer exercícios físicos e dar atenção à família ou namoro. Sem isso, o estresse será mera questão de tempo. E depois de escolher quantas horas você vai gastar com cada tarefa ou atividade, evite pensar em uma enquanto está realizando a outra.
— Quando o cérebro mandar “mensagens” sobre outras tarefas, é só lembrar que cada uma tem seu tempo definido. Isto aumentará a concentração no estudo e o prazer e relaxamento das horas de lazer — garante Douglas.
— Geralmente, os concurseiros têm uma disposição incrível no começo da jornada e se desestimulam no meio ou na reta final, por isso é essencial que se separe um tempo para o lazer. Não se pode ficar bitolado no inicio e perder o foco ao longo da jornada — alerta o professor Carlos Eduardo Lima, do curso Progressão Autêntico.

3) Preparação para a prova:
A preparação deve se iniciar pelo edital dos concursos anteriores. Assim, o candidato terá um roteiro de estudo, com as disciplinas que serão cobradas e a pontuação que cada uma terá na correção, podendo enfatizar algumas matérias mais importantes.
— Assim, quando o edital do concurso sair, basta complementar seu estudo com alguma novidade e intensificar o ritmo de preparação — afirma Fernando Bentes, diretor acadêmico do site Questões de Concursos.

4) Aprenda a fazer fazendo:
Especialistas são unânimes em afirmar que a melhor técnica é a da prática: aprenda a fazer fazendo. A experiência constitui um excelente trunfo na hora de um concurso. Para fazer provas, existem duas maneiras: simulados e provas reais.
— O ideal é que o candidato faça as duas, ou seja, que treine fazer provas e questões e que se inscreva em todos os concursos para a área que deseja. Mesmo que ainda esteja começando a se preparar e não espere passar, vá fazer as provas — recomenda William Douglas.
O especialista sugere ainda que, de vez em quando, o candidato faça treinos especiais, resolvendo questões por um tempo um pouco maior (por exemplo, uma hora a mais) do que o que terá disponível no dia da prova, o que serve para aumentar sua resistência. Outra dica boa é fazer os simulados filantrópicos, cada vez mais comuns nos cursos preparatórios.

5) Resumos e cores:
Especialistas sugerem que, ao estudar, o candidato faça resumos, esquemas, gráficos, fluxogramas, anotações em árvore, mencionados no item abaixo.
— É comprovado que o aprendizado é maior com a prática da escrita, então abuse dos resumos e fichamentos para fixar o conteúdo — frisa o professor Carlos Eduardo Lima, do curso Progressão Autêntico.
William Douglas ressalta que o uso de mais de uma cor nas anotações é proveitosa, pois estimula mais a atenção e o lado direito do cérebro:
— Alguns alunos gostam de correlacionar cores com assuntos ou com referências. Por exemplo, o que está em vermelho são os assuntos mais "quentes" para cair, o que está em azul são exceções, princípios na cor verde, e assim por diante. Dessa forma, as cores também funcionam como uma espécie de ícone.

6) Amigos de alto astral:
Esteja perto de pessoas positivas e com objetivos semelhantes, recomenda William Douglas:
— Evite muito contato com pessoas que não estejam trabalhando por seus sonhos, que vivam reclamando de tudo. O canarinho aprende a cantar, ouvindo outro canário. E canários juntos cantam melhor.

7) Na hora da prova:
Simplicidade e objetividade são indispensáveis na prova, junto com o equilíbrio emocional e o controle do tempo. Para passar, lembre-se que você precisa responder àquilo que foi perguntado. Leia com atenção as orientações ao candidato e o enunciado de cada questão. Nas respostas, utilize linguagem técnica, alerta William Douglas. A linguagem de prova é formal, não se deixe levar pela coloquial. Fique atento à correção: tão ruim quanto uma letra ilegível é uma letra bonita, mas com erros de português. E seja humilde: não queira parecer mais inteligente que o examinador ou criticá-lo.

Por Maíra Amorim
Fonte O Globo Online