sábado, 7 de outubro de 2017

MIADOS - A LÍNGUA DOS GATOS: EMOÇÕES E DESEJOS EM CADA SOM


Seu gato tem um miado para cada ocasião? E você tenta contar isso para as outras pessoas e elas olham para você como se você fosse maluco? Pode ficar calmo: os gatos realmente se comunicam muito bem com os humanos através de miados, não é sua imaginação. E existe um tipo de som para cada situação.
Entre os felinos existem três tipos principais de comunicação: a expressão vocal, posturas corporais e marcas visuais e olfatórias. Esses sinais nem sempre são atendidos pelos humanos, o que torna nossa comunicação interespécie complicada. Mas assim como podemos entender as posturas corporais se convivermos bastante tempo com nossos gatos, como no caso de desagrado demonstrado através de uma abanada de cauda, também podemos aprender o que significa cada miado.
Os miados não são como a fala humana e não têm significado como as palavras, mas servem para expressar emoções. Esse é um assunto tão vasto e intrigante que vários estudos têm sido feitos para tentar entender como felinos e humanos desenvolverão essa capacidade de comunicação. O que já se sabe é que os gatos evoluíram os sons que emitem de acordo com a resposta obtida pelos humanos. Ou seja, alguns sons emitidos pelos primeiros gatos domesticados talvez tenham se extinguido já que não foram entendidos pelos donos naquela época. É fácil reagir a um miado do nosso próprio gato, onde já temos uma relação estabelecida. Por exemplo, todo dono de gato sabe diferenciar o miado de “me dá comida”, do miado “quero ir lá fora”.
Na verdade os sons emitidos pelos gatos se dividem em três grupos: os padrões de murmúrios, os padrões de vogais e os sons intensos. Esses sons são resultado de variações tonais obtidas pela mudança na laringofaringe dos felinos, ao contrário de nós humanos, que emitimos sons mexendo a boca e os lábios. Os diferentes sons fonéticos foram diferenciados e agrupados de acordo com a forma como são emitidos. Análises feitas em laboratórios através de espectogramas, que ainda são mais do que mapas que medem o comprimento de onda dos miados, reconheceram 23 padrões de sons emitidos pelos gatos. Os chamados puros são homogêneos, ou seja, sem muitas variações de volume de freqüência, estrutura harmônica e modulações de pulso.

Padrões de murmúrio
São aqueles emitidos pelo gato com a boca fechada.

Reconhecimento
Os gatos que são muito ligados a seus donos emitem esse som, caracterizado por um murmúrio único e curto, assim que percebem que vão receber carinho ou comida. Esse ruído é amigável e em mais de 90% das vezes ocorre quando o gato está em movimento.

Chamado
Esse som de chamado é emitido pelos gatos principalmente durante o acasalamento. O macho indica com este ruído que está pronto para acasalar, ou ao convidar outros machos mais jovens para uma briga.

Grunhido
Logo ao nascer os gatinhos já produzem esse som que tende a desaparecer com a idade. Na vida adulta ele pode ser usado para expressar dificuldade, por exemplo: diante de um obstáculo muito alto a ser transposto.

Ronronado
Os gatos ronronam em quase todas as situações, até mesmo um pouco antes de morrer depois de terem sofrido com uma doença crônica. Esse efeito reflete o estado de euforia que antecede a morte, causado pela liberação de endorfina no organismo. Os mais comuns são os ronronados de prazer em situações em que o felino está relaxado e feliz, mas se estiver muito estressado, também poderá ronronar. Alguns pesquisadores gostam de comparar o ronronar com o sorriso humano. E é exatamente esta a sensação que temos ao ouvir esse som fofinho produzido pelo gato. No caso, o ronronar do gato ansioso seria mais ou menos como quando rimos de nervoso em uma situação perigosa ou desagradável. Existem várias hipóteses sobre como os gatos ronronam. Pode ser devido a um frêmito causado pela passagem do sangue pelos grandes vasos do palato mole e conforme muda o ângulo da faringe, faria com que o som fosse emitido. Mas também pode ser gerado de outra forma. Depois de realizados estudos eletromiográficos que revelaram com os músculos da faringe se comportam durante o ronronar, descobriu-se que eles têm um papel importante ao fecharem a glote levemente aumentando a pressão do sangue nessa área. O diafragma controlaria a freqüência, ou seja, menos ou mais ronronados a cada minuto.

Enquanto isso, treine para identificar cada som que seu gato emite. Pode perguntar que ele responde!