sexta-feira, 30 de junho de 2017

SAIBA SE O ESTRESSE ESTÁ PREJUDICANDO SEU DESEMPENHO NO TRABALHO

Não conseguir cumprir horários, prazos e metas constantemente é um importante sintoma de esgotamento físico e mental, diz psicóloga

Fadiga constante, falta de estimulo e de motivação, agitação e irritabilidade crônicas podem interferir diretamente na qualidade da produção das tarefas, na criatividade e nos resultados da atividade profissional

Às seis da tarde o expediente acaba, mas você ainda precisa entregar um relatório. O mês está terminando e você está cheio de metas para bater. Quem já passou por uma situação dessas, viveu momentos de estresse no trabalho. Momentos de alta tensão ou pressão fazem parte da rotina de muitas pessoas, mas o que não pode são esses episódios prejudicarem a saúde e o desempenho do profissional no emprego.
Fadiga constante, falta de estimulo e de motivação, agitação e irritabilidade crônicas podem interferir diretamente na qualidade da produção das tarefas, na criatividade e, consequentemente, nos resultados da atividade profissional, explica a psicóloga Érika Morais, do Hospital Pasteur:
— Não conseguir cumprir horários, prazos e metas constantemente é um importante sintoma de esgotamento físico e mental.
Segundo Érika, algumas empresas já perceberam que investir no bem estar físico e mental dos seus colaboradores está diretamente relacionado com o aumento da produtividade e da qualidade no trabalho. Proporcionar no ambiente profissional, por exemplo, aulas de dança, música (coral), pilates, meditação, gastronomia, entre outras atividades esportivas, culturais e lúdicas, além de melhorar as relações interpessoais e a comunicação entre os grupos, ajuda a fortalecer os vínculos e a integrar as equipes.
A psicóloga diz que identificar a origem do estresse é fundamental: quais são as atividades, tarefas ou pessoas que desestabilizam o profissional e acabam afetando o seu desempenho. O ideal é que as pessoas busquem a felicidade e o equilíbrio no trabalho para que o corpo também seja saudável:

— Faça uma lista e veja o que pode ser modificado. Conheça seus limites e tente relaxar antes do “piripaque”. Procure uma janela e contemple a paisagem; cultive o hábito de degustar um chá; pare e escute uma música de qualidade; ative uma boa lembrança; reveja as fotos da viagem de férias. Ou seja, relaxe! Tente fazer disso um habito diário, cinco ou 10 minutos durante o expediente. E, em caso de “explosões” frequentes, procure um médico antes de adoecer.
No entanto, nem todo mundo consegue identificar a que grau anda o estresse e como este está afetando seu trabalho e a vida pessoal. Confira abaixo alguns desses sintomas e como ameaçam a qualidade de vida:

Desordem mental, cuidado!— De acordo com Érika Morais Gonçalves, psicóloga do Hospital Pasteur, o estresse possui um viés positivo, mas seu acúmulo pode causar danos ao corpo e à mente. O aspecto positivo do estresse, segundo a especialista, está na produção de adrenalina, na animação que vivemos diante da superação de desafios que estimulam a produtividade. Entretanto, acrescenta Érika, a soma e a repetição de situações estressantes podem ser prejudiciais para a atividade mental e causar danos à memória e ao aprendizado.

A pressão só aumenta — Agitação ou irritabilidade, sintomas aparentes do estresse, desencadeiam uma série de mudanças no organismo. Segundo Eduardo Nagib, diretor médico do Hospital TotalCor RJ, esse mecanismo fisiológico libera doses de adrenalina e cortisol no corpo que, em excesso, elevam a frequência cardíaca e a pressão arterial, diminuem a imunidade e colaboram para o aumento de peso e a ansiedade, entre outros fatores. Juntos, explica o médico, esses sintomas potencializam doenças como hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, obesidade e diabetes. O conselho é buscar ajuda médica para estar em dia com a saúde do coração, alerta.

Noites em claro — A rotina agitada e repleta de aborrecimentos pode favorecer o surgimento da insônia. De acordo com Nagib, é preciso buscar ajuda médica para identificar suas causas e resolvê-las, já que a má qualidade do sono é fator influente para desencadear diversas doenças.

Dores pelo corpo — Além dos problemas cardíacos, outras condições físicas também podem indicar que seu trabalho não está fazendo bem. Entre os principais sintomas do estresse estão sinais de cansaço, dor na coluna, dor de cabeça, sentimento de medo e agressividade, diminuição da produtividade e eficiência, perda da memória, aceleração do batimento cardíaco e irritação.

A mudança de hábitos pode caracterizar melhora significativa da sensação do estresse, de acordo com Eduardo Nagib:
— Ter uma vida saudável. Uma alimentação balanceada, realizar avaliação clínica periodicamente e praticar exercícios físicos podem ajudar a salvar o corpo e a livrar a mente da pressão do estresse, ficando menos vulnerável a doenças.

Vida social em xeque — Uma rotina atribulada na empresa, além do fato de levar trabalho para casa, acaba prejudicando o tempo dedicado ao lazer, família e amigos.

— Não limite sua vida ao trabalho. Saiba administrar suas prioridades; o equilíbrio entre vida pessoal e profissional também é fundamental para o sucesso de sua carreira — aconselha a psicóloga Érika.

Fonte O Globo Online