sábado, 31 de dezembro de 2016

ANO NOVO: APRENDA A FAZER SUA PRÓPRIA SORTE E DÊ ADEUS AO AZAR


Há quem diga que sorte é algo que nasce com a pessoa. Ou você tem, ou não tem. Mas uma pesquisa realizada na Grã-Bretanha acaba de jogar por terra esta teoria. Em um estudo com mil pessoas, o psicólogo Richard Wiseman concluiu que cada um é capaz de fazer — e mudar — a própria fortuna por meio de pensamentos e atitudes positivas.
Wiseman viu que, enquanto sortudos são abertos a novas ideias e aproveitam as oportunidades que a vida oferece, aqueles que se consideram azarados tendem a desistir rápido quando algo dá errado e se convencem de que o universo conspira contra eles. Segundo o pesquisador, para mudar a sorte, o primeiro passo é esperar coisas boas do futuro, e depois começar a pensar e a agir como um sortudo.
Para a psicóloga Mônica Portella, diretora do Grupo Psi+, fortuna e azar têm a ver com o quanto se trabalha para fazer algo acontecer:
— Na verdade, não existe sorte, mas uma maneira otimista de lidar com o mundo. Pessoas sortudas têm comportamento proativo. Só pensar positivo não faz com que coisas boas aconteçam — afirma Mônica.
Já os pessimistas geralmente se percebem como azarados porque sempre veem "o copo meio vazio". Assim, deixam passar boas chances que estavam sob seus narizes e costumam paralisar diante de adversidades, segundo a especialista.
— Essas situações são normais, fazem parte da vida. A pessoa tem é que se preparar para elas. Há uma frase que diz que sorte é quando o preparo encontra a oportunidade. E para estar preparado é preciso conhecer os próprios talentos, usar pontos fortes e agir. Quem é despreparado nunca vai ter sorte — avalia Mônica Portella.

Otimista desde criança
Na psicologia, chama-se estilo atributivo a forma como um indivíduo qualifica a realidade. Esse traço da personalidade é forjado até os 7 anos de idade e, por isso, o que os pais dizem ao filho quando ele é criança terá reflexo direto no adulto realista, otimista ou pessimista. Encorajar os pequenos a ver o mundo de maneira positiva pode determinar, no futuro, a sorte ou o azar deles, alerta Mônica Portella.
Além de fortuna, ser otimista pode trazer benefícios à saúde. Pesquisas já comprovaram que doentes que mantêm esperança na cura se recuperam mais rápido.
— Quando a pessoa pensa que as coisas vão funcionar, ela convida o corpo a transpassar a doença. Ser positiva a ajudará a ter mais ânimo para fazer fisioterapia, por exemplo — afirma a psicóloga Luciana de La Peña, do Espaço Trocando Ideias.
Quem cultiva o alto-astral também tende a adoecer menos porque geralmente se cuida mais, se alimenta melhor e pratica exercícios. Por outro lado, os pessimistas são mais propensos a desenvolverem depressão.

Por Camilla Muniz
Fonte Extra – O Globo Online