sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

CONCURSEIROS NÃO DEVEM DESACELERAR NO FIM DE ANO

Especialistas aconselham equilíbrio entre as comemorações e os estudos. Para quem está com a matéria em dia, a dica é aproveitar o tempo para fazer uma revisão

Com provas de concursos importantes já em janeiro, candidatos passarão as festas de fim de ano na companhia dos livros. No mês que antecede as provas, os estudos devem ser reforçados, mas, ainda assim, concurseiros não devem deixar de lado as comemorações. Para especialistas, o segredo é a moderação.
“As festas de fim de ano podem ser uma boa oportunidade para relaxar e descansar a mente”, garante o psicólogo Alexandre Maia. Porém, é importante não deixar os estudos de lado. Se o candidato já estudou tudo o que podia, a dica do psicólogo é aproveitar o momento para fazer uma revisão. O especialista explica que o concurseiro não pode esquecer que na reta final o melhor é revisar a matéria, pois reativa a memória e não cansa o cérebro, além de melhorar a autoconfiança.
Para Paulo Estrella: “Quem tem prova marcada para janeiro não deve mudar seu ritmo. A pessoa já passou por tanta coisa, já lutou, não pode relaxar os estudos nessa hora.”
                                                       
‘Não deixe que uma coisa invada o tempo da outra’
“Parar por duas semanas significa desacelerar e, com isso, perder o ritmo”, alerta o diretor da Academia do Concurso, Paulo Estrella. “Depois que a pessoa for aprovada, com certeza terá muitas festas de fim de ano para comemorar e com salário no bolso”, incentiva ele.
Já o psicólogo especializado em concursos Alexandre Maia acredita que o candidato deve tentar conciliar os estudos com as comemorações. O conselho do especialista é dividir bem o tempo nessas datas, sendo parte para festas e família e parte para os estudos. O importante, ele diz, é não deixar que uma coisa invada o tempo da outra.
Para quem precisa viajar, a dica de Paulo Estrella é levar o material e organizar seu tempo para estudar durante a viagem. O diretor argumenta: “Sei que o frisson do fim de ano contagia, com as compras, festas, comemorações. Mas tudo isso vai ser muito melhor depois que o candidato for aprovado e tiver estabilidade”.
Ainda que haja disposição para estudar nessas datas, os próximos devem colaborar e incentivar. “É preciso que a família respeite o direito e a necessidade do concurseiro de estudar, mas também faça com que seu tempo de lazer seja divertido e relaxante”, ensina Estrella.

Fonte O Dia Online