sábado, 3 de junho de 2017

LENDA DO GATO SIAMÊS


Era uma vez, há muito, muito tempo no reino do Sião, uma donzela cujo pai era uma fera. A tal donzela era belíssima, e o pai não gostava que as pessoas ficassem olhando para ela, então ele a exilou numa ilha deserta.
Os deuses olharam e não gostaram, porque não era o destino da donzela ficar só.
Na verdade, eles já estavam de olho num pescador para ser o companheiro da donzela. Só que o tal pescador nem sabia que a donzela existia. E se nem isso ele sabia, imagine se ele ia saber onde ficava a tal ilha!
Um problema, mas aí os deuses resolveram mandar um gato para ajudar o pescador. Um gato muito pálido, de olhos azuis. E os deuses fizeram com que o gato pudesse falar e nadar.
O pescador ficou tão espantado de ver um gato falando e nadando que não pensou duas vezes: foi atrás dele, achou a ilha, ele e a donzela se olharam e nem preciso dizer que foi amor à primeira vista (não sei não, mas acho que a donzela deixou de ser donzela).
Os deuses ficaram muito satisfeitos, e aí foram fazer um agrado no gato.
Onde eles tocaram no gato, o pelo ficou mais escuro. Os pontos escuros no pelo dos gatos siameses são a sombra das mãos dos deuses.
E é por isso que os gatos siameses são faladores e também - dizem – eles nadam, mas só quando ninguém está olhando.